Vote na nossa pesquisa ao lado (Barra lateral direita)!

Catecismo Cristão: 3º Mandamento da Lei da Igreja

Dando continuidade à série de reportagens sobre o catecismo católico, em sintonia com o Ano da Fé, o Portal A12 traz hoje uma reflexão sobre o terceiro mandamento da Lei da Igreja: ‘Comungar ao menos pela Páscoa da Ressurreição’.

Esse preceito foi criado para garantir um “mínimo na recepção do Corpo e Sangue do Senhor, em ligação com as festas pascais, origem e centro da Liturgia cristã.” (Catecismo da Igreja Católica, 2042)


Jesus quis fazer-se alimento espiritual para a nossa salvação.  Ele é o alimento que nos traz a vida eterna: “Eu sou o pão da vida. Vossos pais, no deserto, comeram o maná e morreram. Este é o pão que desceu do céu, para que não morra todo aquele que dele comer. Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.” (Jo 6,48-51). Portanto, é lógico que a Igreja promulgue esse mandamento, visando garantir que os fiéis tenham, ao menos uma vez por ano, a comunhão plena com Cristo, recebendo o seu próprio Corpo e Sangue como alimento.

A Eucaristia é afirmada no Concílio Vaticano II como «fonte e centro de toda a vida cristã» (Const. dogm. sobre a Igreja Lumen gentium, 11): dela os fiéis se nutrem. É tão importante que os dois últimos Papas dedicaram um documento inteiro para escreverem sobre ela. O Beato João Paulo II escreveu a encíclica Ecclesia de Eucharistia, onde faz a relação da Eucaristia com a Igreja.  Bento XVI escreveu uma exortação apostólica pós-sinodal (após o sínodo, que é uma grande reunião de bispos de um continente), denominada Sacramentum Caritatis, onde define a Eucaristia como fonte e ápice da vida e da missão da Igreja. Sobre a Eucaristia aprofundaremos mais em breve, quando falemos sobre esse sacramento.

Vivendo o preceito

Todo cristão que já recebeu a primeira comunhão e que não tenha nenhum impedimento de comungar deve cumprir esse preceito. Não por obrigação, mas porque precisamos para a nossa vida espiritual. Quem não pode comungar também está convidado à comunhão espiritual.

Para receber esse sacramento deve estar em estado de graça, ou seja, não ter cometido nenhum pecado mortal. Caso tenha cometido, é indispensável receber antes o sacramento da reconciliação.

É muito importante observar o jejum de uma hora antes de receber a comunhão.

Aprender de Maria, a mulher eucarística

O Beato João Paulo II nos propõe o seguinte: “Se quisermos redescobrir em toda a sua riqueza a relação íntima entre a Igreja e a Eucaristia, não podemos esquecer que Maria [...] pode guiar-nos para o Santíssimo Sacramento porque tem uma profunda ligação com ele” (Ecclesia de Eucharistia, 53). Lembremos que Ela foi a que primeiro recebeu Cristo no seu interior, sendo o primeiro « sacrário » da história para o Filho de Deus. 

Acolhamos o convite de Maria, façamos o que o seu Filho nos disser (Jo 2, 5). Entremos em comunhão com Ele, para que a nossa vida seja plena.

Redação Portal A12

Reações:

Post Relacionados

Catecismo Cristão: 3º Mandamento da Lei da Igreja ABRA-TE A RESTAURAÇÃO Rating: 5 15 de junho de 2013

Nenhum comentário :